Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte

9 de março de 2017
Imprensa
CEREST discute precarização do Trabalho com servidoras em Seminário

Começou nesta quarta-feira, 8, o I Seminário sobre Precarização do Trabalho e Implicações na Saúde das Trabalhadoras, promovido pelo Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST. O evento acontece até a próxima sexta-feira, e além de palestras vai trazer momentos de lazer, sessões de massoterapia e até uma aula de defesa pessoal.

No primeiro dia, as participantes contaram com uma palestra da Procuradora do Ministério Público do Trabalho, Lorena Brandão, que falou sobre as lutas e conquistas das mulheres ao longo dos anos, e mostrou as estatísticas de denúncias que chegam ao MPT relacionadas a assédio moral e sexual, discriminação, entre outras situações. Segundo a Procuradora, o MPT “investiga muitos casos. Essas são condutas que adoecem as mulheres, ferem a dignidade das trabalhadoras, e atuamos repressivamente investigando esses casos e chamando os infratores para firmar termos de ajustamento de conduta. Caso isso não aconteça, podemos entrar com uma ação contra essas pessoas”, explica.

Além desta, houve palestras sobre saúde da mulher, orientações de como elas devem se cuidar e também direitos das mulheres dentro do ambiente de trabalho. Segundo a coordenadora do CEREST, Silvia Rodrigues, a ideia de promover um momento como esse veio como com o objetivo de não deixar passar em branco uma data tão importante.

No evento também aconteceu a posse da Comissão de Juazeiro do Norte da União Brasileira de Mulheres – UBM. A Presidente, Ângela Maria, que é agente comunitária de saúde há 26 anos, disse que “é um privilégio enorme estar na comissão. Nos meus trabalhos, já acompanhei vários casos de mulheres que foram agredidas fisicamente e psicologicamente. Eu mesmo já passei por isso, e hoje me sinto orgulhosa por ter superado, e me curado. Por ter tido essas experiências, ajudo as mulheres que passam por isso, e a partir de agora vamos encaminhar essas mulheres para os órgãos competentes, para que sejam orientadas e assistidas como devem ser”.


Tópicos: