3 de abril de 2017
Imprensa
Grupo de Trabalho sobre Tabagismo ajuda dependentes a largarem o cigarro

O Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – CAPS AD, realiza nas manhãs de quinta-feira um Grupo de Trabalho com usuários de cigarro que desejem largar o vício. O trabalho acontece através de uma roda de conversa, onde os participantes compartilham suas dúvidas, angústias, avanços e fortalecem uns aos outros através dos seus testemunhos.

O Grupo é uma das ferramentas oferecidas pelo CAPS aos dependentes do cigarro. Para participar, basta que o usuário procure o Posto de Saúde da Família mais próximo e apresente o desejo de deixar de fumar. O médico irá fazer uma triagem e encaminhar ao tratamento mais adequado. Também é possível procurar o CAPS diretamente, lá também será realizada uma triagem com os profissionais do equipamento.

De acordo com o fonoaudiólogo e facilitador do grupo, Alex Sampaio, a proposta do grupo é orientar os pacientes a entenderem as reações do próprio corpo, devido a dependência, e ao processo de abstenção. “No grupo, fazemos uma abordagem qualificada comportamental, porque a dependência do cigarro tem três aspectos importantes: dependência física, psicológica e comportamental. Muitas questões estão associadas aos hábitos diários, e participando do grupo, o usuário começa a traçar estratégias para enfrentar essa questão comportamental ligada a psicológica”, afirma.

No grupo, há relatos de pessoas que fumaram durante 30, 40 até 50 anos e buscaram ajuda para largar o vício. A vontade de parar de fumar chega através de problemas de saúde, da reivindicação dos familiares, ou mesmo através da conscientização sobre os males da dependência. Maria Franceli, de 69 anos, fumava desde os sete anos de idade, e afirma que o grupo foi primordial para conseguir parar de fumar.

Além do grupo terapêutico e dos profissionais que ajudam nesse processo, há também o suporte medicamentoso disponibilizado pelo Programa Nacional de Controle de Tabagismo e Tratamento do Fumante. Atualmente, os grupos e a distribuição da medicação são feitos apenas no CAPS AD, mas está em processo de descentralização. Em breve, o programa será implementado nos Postos de Saúde da Família, com o objetivo de que o paciente possa ter o tratamento mais próximo de sua casa.


Tópicos: