8 de janeiro de 2018
Imprensa
Projeto Ciclo de Reis mobiliza mais de 60 mil pessoas e tem maior cortejo da tradição popular do Cariri

O projeto Ciclo de Reis, realizado pela Prefeitura de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Cultura em parceria com a Ong Zaíla Lavor, teve seu encerramento na manhã deste sábado, 06 de janeiro, com um grande cortejo em comemoração ao Dia de Reis, que contou com a participação de 43 grupos da tradição popular de Juazeiro do Norte. O público do Ciclo de Reis, realizado dentro do projeto Natal de Paz de Juazeiro do Norte, com abertura no último dia 22 de dezembro, com cortejo, e terreiras a partir do dia 25, contou com cerca de 60 mil pessoas.

Mais de 800 brincantes desfilaram pela Rua São Pedro desde a praça da prefeitura até a Praça Padre Cícero, encantando milhares de pessoas que acompanharam o desfile das calçadas da principal rua da cidade.

Para a vendedora Joana de Sousa Pereira, que trabalha em uma loja da rua há vários anos, tanto o cortejo de abertura do evento, realizado no dia 22 de dezembro, como o de encerramento, foram os mais bonitos que ela já presenciou. “É uma coisa bonita que faz parte da nossa cultura. Tudo muito colorido, com crianças e idosos participando com alegria”, comenta a vendedora.

Queima de palinhas

No encerramento, algumas apresentações e cantigas tradicionais populares em homenagem ao Menino Deus e aos Três Reis Magos foram entoadas de forma improvisada por alguns Mestres da Cultura Popular. Também aconteceu a tradicional queima das palhinhas do Presépio com a participação de dezenas de crianças, jovens e adultos que fazem parte dos grupos de lapinha do Município.

Mestres destacam valorização

O líder do grupo Bacamarteiros da Paz, Francisco Gomes Novais, conhecido como Mestre Nena, considera que o projeto Ciclo de Reis foi a maior festa que já aconteceu em todo o Cariri nesse período do ano envolvendo os grupos da tradição. “Em 55 anos que participo da cultura, essa foi a primeira vez que vi uma festa como essa. Ficou na história. Traz mais força para nós, pois somos todos uma coisa só”, disse Mestre Nena.

Mestres e brincantes que participaram do evento concordam que a forma como o Projeto foi realizado, proporcionou momentos de interação e união entre todos, prevalecendo o sentimento de amizade e troca de experiências.

O líder do reisado “Discípulos do Mestre Pedro”, também conhecido como Reisado dos Irmãos, Antônio Ferreira Evangelista (Mestre Antônio) reconhece o projeto Ciclo de Reis como um evento importante para a cultura popular, pois uniu os grupos folclóricos de forma organizada. “Foi uma coisa que salvou mesmo a cultura. O prefeito Arnon Bezerra fez esse evento e apoiou a nossa cultura. Nós agradecemos e desejamos que se repita por muitos e muitos anos nesse período que comemora o Dia de Reis”, ressalta Mestre Antônio. Ele lembra ainda que essa foi a primeira vez que todos os grupos realizam um cortejo de forma unida em Juazeiro do Norte.

A Secretária Executiva da Cultura, Sandra Nancy, comenta que o projeto Ciclo de Reis passou por um processo que levou seis meses desde os planejamentos iniciais até o grande cortejo de encerramento e contou com o envolvimento de todos os colaboradores da Cultura. “Valorizar a cultura foi uma promessa do prefeito Arnon Bezerra que vem se cumprindo através de ações importantes como esse Ciclo de Reis”, ressalta Sandra Nancy.

Descentralização

Um dos grandes méritos do Ciclo de Reis foi a descentralização das ações do projeto. Ao todo, foram 20 terreiradas realizadas em diversos bairros do Município, permitindo que crianças e idosos também pudessem ter acesso as apresentações sem precisar se deslocarem da sua comunidade. A organização do Ciclo de Reis estima que um público em torno de 60 mil pessoas foi beneficiado (média de 3 mil por terreirada), estimulando a economia criativas e proporcionando a interação entre membros de comunidades vizinhas.

Galeria de fotos


Tópicos: